quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.Quem instituiu legados na Santa Casa da Misericórdia de Penafiel para dotar órfãs para casarem?
Foram todos homens. Verificava-se uma preocupação masculina na ressalva da honra e virtudes das mulheres.
Estes instituidores foram, maioritariamente laicos, uma vez que somente três eram eclesiásticos (no século XVII, o abade Amaro Moreira e o Padre Baltazar da Rocha e, nos inícios do século XVIII, o abade Domingos Rodrigues de Azevedo).
A maior parte deles eram de Penafiel ou dos concelhos vizinhos, demonstrando a preocupação em preservar a virtude das suas conterrâneas, das filhas e descendentes de seus vizinhos, ou de suas parentas.
O ponto comum e mais vincado entre todos, era o facto de grande parte deles terem feito fortuna na América, tendo alguns falecido no Brasil.
Cf. FERNANDES, Paula Sofia Costa – O hospital e a botica da Misericórdia de Penafiel (1600-1850). Penafiel: Santa Casa da Misericórdia de Penafiel, 2016, p.93-94.
 
 
Diogo Leite Pereira de Melo
da Casa da Companhia e a música
Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.          Diogo Leite Pereira de Melo organizou um grupo musical em Paço de Sousa, em meados do século XIX.
Este grupo realizou vários concertos na freguesia.
Segundo a tradição eram realizados num couto junto aos ramos de um carvalho secular, situado na Quinta da Companhia.
           Cf. MENDES, Manuel – Esboço histórico da Banda Musical de Paço de Sousa (no seu cinquentenário). Paço de Sousa. Banda Musical e Cultural de Paço de Sousa, 1991, p.36-38.
Imagens retiradas do mesmo livro, p.36;38.
Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.
Ilustres Eclesiásticos Penafidelenses
                Padre António Coelho Ribeiro Alves – Fundador do Colégio, em S. Martinho de Recesinhos, no lugar de Venda do Campo. Os alunos estudavam aí os preparatórios e, iam para os cursos de Teologia, em Lamego. Este Padre de S. Mamede de Recesinhos teve mais dois irmãos padres: Luís Coelho Ribeiro Alves (Pároco em Bustelo) e Vitorino Coelho Ribeiro Alves, da Venda do Campo.
             Cf. FERREIRA, José Fernando Coelho. Ilustres Eclesiásticos Penafidelenses. Notícias de Penafiel, Penafiel, 21 de outubro. 2016. Edição n.º23. p.8.
Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.
Rancho Folclórico de Paço de Sousa

        Sabia que …

       Em 6 de março de 1975 foi constituído o Rancho Folclórico de Paço de Sousa.
      Cf. MENDES, Manuel – Sumário de Datas de Paço de Sousa. Paço de Sousa: Colecções e Edições Gamuz, 1998, p.39.
       Imagens retiradas do livro “Capelas e Textos etnográficos de paço de Sousa”, p.1;95.


Coronel Nicholas Trant
          
           Seguiram, depois, para a Casa da Companhia, em Paço de Sousa, aí jantaram e privaram também com monges beneditinos do mosteiro, tendo sido recebidos com música e fogo-de-artifício. A 19 de maio de 1814, Nicholas Trant e a sua filha Clarissa partiram do Porto com destino a Alpendurada. No caminho estiveram na Quinta de Cabanelas, em Bustelo, e almoçaram no Convento de Bustelo.
          Cf. MENDES, Manuel – Esboço histórico da Banda Musical de Paço de Sousa (no seu cinquentenário). Paço de Sousa. Banda Musical e Cultural de Paço de Sousa, 1991, p.25.
Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.
Gonçalo Rodrigues Marques
            Filho de Pedro Marques e de Maria Rodrigues. Casou com Margarida Marques. Tiveram pelo menos um filho, António Rodrigues Marques.
Foi tesoureiro geral das décimas da cidade e comarca do Porto, no ano de 1655.
            Cf. ARQUIVO MUNICIPAL DE PENAFIEL – Inventário do acervo documental do Morgado da Aveleda. Penafiel: Câmara Municipal de Penafiel, 2011, p.1130.
            Imagem pertencente ao espólio do Morgado da Aveleda, cota PT/SACQA/MA /C/S/C/fl.01.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Sabia que…
Em ata de reunião, da Junta de Freguesia de Irivo, de 4 novembro 1928, foi dito pelo Sr. Presidente que “tendo-lhes sido feito um pedido pelas Ex.mas professoras desta freguesia de 20 cadernos de papel para as suas escolas, lhe respondera que na ocasião presente não tinha dinheiro para satisfazer tal pedido. Que tendo as mesmas voltado a insistir no referido pedido, consultou o superior das ditas professoras neste sentido, o qual lhe respondeu que realmente as Juntas deviam fornecer os impressos precisos para o recenseamento escolar, mas que em vista de não terem dinheiro nesta ocasião, oficiasse as mesmas professoras delicadamente, dizendo que não tendo a Junta dinheiro na presente data, as auxiliavam com a quantia necessária, com o seu próprio dinheiro”.
Cf.: ARQUIVO MUNICIPAL DE PENAFIEL - Junta de Freguesia de Irivo – Inventário do Acervo Documental. Penafiel: Câmara Municipal de Penafiel, 2006, p.23. Disponível online em: http://www.cm-penafiel.pt/…/inventarios-e-documenta
cao-publ….